Ataque aos católicos no Iraque em 31/10

18/11/2010 23:30

Redentorista teme pelo futuro dos católicos iraquianos
Martin Barillas, Spero News

"Os cristãos iraquianos estão aterrorizados e em estado de choque. Estão perante um terrível dilema: emigrar e salvar as vidas dos seus entes queridos, ou ficar no país e testemunhar sua fé, correndo o risco de morrer." Isso é o que diz o Padre Vincent Van Vossel, C.Ss.R., superior dos Redentoristas, em Bagdá, após o massacre ocorrido em 31 de outubro, na igreja católica síria de Nossa Senhora da Salvação.

 

Terroristas ligados à Al Qaeda invadiram a igreja, matando imediatamente ambos os sacerdotes no altar, e fazendo refém a comunidade reunida. Forças de segurança iraquianas invadiram a igreja para libertar os reféns, mas não antes de os terroristas suicidas detonarem os coletes explosivos e bombas de fragmentação. Os relatórios dizem que houve no incidente 58 mortos, e 70 feridos.

 

Pe. Vincent, que vive no Iraque por 40 anos e leciona no Colégio Babel, em Bagdá, faculdade filiada à Pontifícia Universidade Urbaniana de Roma, deu à Agência Fides um testemunho sincero: "Estamos vivendo uma coisa que é realmente terrível. Nunca tinha havido um massacre de tal magnitude, tudo dentro de uma igreja durante a celebração da Santa Eucaristia. Visitei a igreja e ouvi os testemunhos dos fiéis em estado de choque. Os terroristas mataram impiedosamente mulheres e crianças. A comunidade está traumatizada. A igreja parecia um cemitério."

 

 

A comunidade cristã de Bagdá perdeu dois jovens sacerdotes do rito sírio-católico, Pe. Wasim Sabieh e Pe. Thaier Saad Abdal, enquanto um terceiro sacerdote, o corepíscopo Pe. Rufail Quataimi, ainda está no hospital em estado grave. "Que tragédia! Os dois sacerdotes que morreram, ainda na casa dos trinta anos, foram meus alunos na faculdade. Eram muito ativos no apostolado bíblico, no diálogo inter-religioso, e da caridade. Pe. Thaier trabalhava num Centro de Estudos Islâmicos e Pe. Wasin era muito empenhado em ajudar famílias pobres. Sentiremos a falta deles ", diz o Pe. Vincent.

 

O sacerdote recorda que "ontem uma série de ataques atingiu Bagdá e as áreas xiitas, o que significa que não apenas os cristãos estão sob ataque, mas toda a área é inundada pelo terrorismo. É difícil prever um futuro de esperança para a nação agora", diz ele. "Não sabemos quem está por detrás destes atos, nem para onde o país é dirigido. Entretanto, o povo sofre. Existem esses grandes males que afligem o país"

 

Daí, o dilema para os cristãos: "Os fiéis dizem que sua vida se tornou impossível. Muitas famílias cristãs estão se organizando para deixar o país. O dilema atroz é fugir em busca de um futuro melhor, ou ficar, arriscando suas vidas... Neste momento trágico, os bispos têm uma grande responsabilidade de falar aos fiéis, para dar suas razões e esperanças, para convencê-los a ficar. A tarefa de nossos pastores, hoje, é muito difícil", observou ele.

Boletim Scalla